Os Direitos Humanos e as Pessoas Surdas

Olá! Bem-vindo! Eu sou o Presidente da Assembleia Geral da FPAS e chamo-me Filipe e este é o meu nome gestual.
A FPAS organizará, brevemente, 6.º Congresso Nacional das Pessoas Surdas.
O Congresso realiza-se de dois em dois anos e, este ano, vai ser em Leiria, nos dias 27 e 28 de setembro de 2014.
A temática do congresso vai incidir sobre “Os Direitos Humanos e as Pessoas Surdas”.
Este tema surge dado que a Comunidade Surda tem lutar pelos seus direitos.
Este é um tema de grande importância que tem de ser debatido.
Sabe que, em 1997, no reconhecimento de Língua Gestual previsto pela Constituição portuguesa, mas até agora, 2014, a situação melhorou ou piorou?
Por exemplo, em questões de acessibilidade a situação melhorou ou continuou a haver uma discriminação? Na saúde continuou a haver essa discriminação? São questões em que devemos pensar. Os direitos humanos que tem prevalecido estarão a ser respeitados? Por exemplo, a Convenção (Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com deficiência) diz que a Língua Gestual é um direito de todos, tal como o direito à acessibilidade, à educação, entre outros, levando assim a uma igualdade entre surdos e ouvintes, mas na realidade essa igualdade não existe, como tal cabe-nos a nós reivindicar essa igualdade, não é verdade? A Comunidade Surda precisa refletir sobre estas questões e poderá fazê-lo neste Congresso.
Teremos convidados especiais da WFD (Federação Mundial de Surdos) e da EUD (União Europeia de Surdos). Ambos iram abordar o tema deste Congresso.
O tema deste Congresso “Os Direitos Humanos” é um tema universal, por todo o mundo a comunidade surda enfrenta vários problemas e a situação em Portugal não é diferente.
É necessário aprofundar este tema devido a problemas que vão surgindo continuamente e aos quais é preciso dar resposta para que soluções no sentido de os resolver e melhorar sejam encontradas.
Mas tudo isto depende somente de nós.
Se não estiverem presentes no Congresso todo este trabalho fica sem efeito.
Nesse sentido, a FPAS quer incentivar toda a Comunidade Surda a participar, a debater opiniões, a mostrar uma posição firme e haver união entre todo. A Convenção assegura todos os direitos previstos. Se Convenção não existisse, os Surdos teriam dificuldades para avançar, pois ficamos vulnerados. Participem! Divulguem e tragam mais pessoas convosco! Vamos mostrar a nossa força! Vamos chamar a atenção do Estado para os problemas da Comunidade Surda e para a forma como poderá solucioná-los!
Venham Participar!